Quinta, 15 Agosto 2013 14:10

DEZ BATISTAS DE DESTAQUE NO BRASIL

Avalie este item
(0 votos)

   Destaco neste editorial a vida dos bravos guerreiros. Servos de Deus que marcaram a história do cristianismo e, sobretudo, a história deste povo chamado batista. Pelo legado deixado para as gerações seguintes, rendemos graças ao Senhor.

1

WILLIAM BUCK BAGBY (1855-1939)

Missionário norte-americano veio para o Brasil em dois de março de 1881, tendo ficado aqui até sua morte. Teve uma visão nacional para os batistas brasileiros. De Santa Bárbara, aonde chegou e fundou uma igreja, foi para Salvador, onde fundou uma igreja, e depois para o Rio de Janeiro, onde fundou a Primeira do Rio. Fundou ainda outras igrejas.

2

W. E. ENTZMINGER (1859-1930)

Missionário norte-americano chegou a Salvador em 1891. Começou atuando em Recife, na área de educação teológica. Depois, foi para o Rio de Janeiro, onde fundou e dirigiu O Jornal Batista, que teve papel de destaque na formação do pensamento batista.

3

SALOMÃO LUIZ GINSBURG (1867-1927)

Filho de rabino (daí autodenominar-se "um judeu errante no Brasil") chegou ao Brasil como missionário congregacional. Decidiu ser batizado por imersão e pouco depois foi nomeado missionário da Junta de Richmond. Implantou igrejas batistas em vários estados brasileiros. Criou o Cantor Cristão. Participou da fundação do Seminário do Norte.

4

W. C. TAYLOR (1886-1971)

Autor de vários livros de teologia, da exegese à sistemática, tornou-se por décadas um padrão em termos doutrinários no Brasil. Atuou no país por 41 anos, envolvendo-se aguerridamente em polêmicas com outros evangélicos e mesmo entre batistas.

5

DAVID GOMES (1919-2003)

Sucedeu a Bratcher na direção da Junta de Missões Nacionais (1954-1968) e manteve a chama por missões nacionais nos corações dos batistas brasileiros. Foi pastor também de igreja local (Tijuca e Esperança, no Rio de Janeiro). Fundou em 1949 a Escola Bíblica do Ar (Ebar), pioneira na pregação pelo rádio. Assinou a coluna "Perguntas e Respostas" no lugar de Theodoro Teixeira.

6
JOÃO FILSON SOREN (1908-2002)

Filho do também pastor Francisco Fulgêncio Soren, João Filson Soren foi pastor da Primeira Igreja Batista do Rio de Janeiro por cinco décadas, reitor do Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil e presidente da Convenção Batista Brasileira várias vezes. Serviu como capelão do Exército Brasileiro durante a Segunda Guerra Mundial na Itália.

7

JOSÉ DOS REIS PEREIRA (1916-1991)

Dirigiu por vários anos o Jornal Batista e foi também secretario várias vezes da Convenção Batista Brasileira. Autor de vários livros, alguns de história, estimulou fortemente a obra missionária estrangeira.

8

RUBENS LOPES (1914-1979)

Filho de Antônio Lopes e Maira F. Lopes. Batizado na Primeira Igreja Batista de Santos, pelo Pastor Tecê Bagby. Casamento no dia 4 de abril de 1940, com a Srta. Hercy Botelho. Quatro filhos: Neide, Lúcia, Rubens Eduardo e Saulo Ricardo. Ordenado, no dia 24 de janeiro de 1938, na Igreja Batista de Vila Mariana. Evangelista da Igreja Batista de Vila Mariana, em 22 de dezembro de 1937. Co-Pastor da Igreja Batista de Vila Mariana, em oito de dezembro de 1937. Pastor da Igreja Batista de Vila Mariana: eleito em 22 de novembro de 1939 e empossado em 31 de dezembro de 1939. Presidente da Convenção Batista do Estado de São Paulo durante 28 anos seguidos. Fundador e Presidente da Ordem dos Pastores Batista do Estado de S. Paulo durante 31 anos seguidos. Presidente da Convenção Batista Brasileira 14 vezes. Presidente da Campanha Nacional de Evangelização, em 1965.


9
WALDEMIRO TYMCHAK (1937-2007)

Era pastor da Igreja Batista Boas Novas (São Paulo, SP) quando foi escolhido para dirigir a Junta de Missões Mundiais, onde serviu por 28 anos e consolidou o esforço dos batistas na evangelização mundial.


10
NILSON DO AMARAL FANINI (1932-2009)

Nilson do Amaral Fanini nasceu em ParanaguáParaná em 18 de março de 1932, filho dos imigrantes italianos Olympio Fanini e Cecy do Amaral Fanini. Iniciou oficialmente sua carreira religiosa na década de 1950, ao formar-se bacharel no Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil em 1955. Foi consagrado pastor na Igreja Batista de Itacuruçá, Tijuca, na cidade do Rio de Janeiro, pastoreada pelo Pr. Oswaldo Ronis, em 24 de novembro de 1955, e foi pastor itinerante no norte do estado do Paraná por um período. Nos Estados Unidos da América fez em 1958 o mestrado no Southwestern Baptist Theological Seminary, em Fort Worth, estado do Texas. Casou-se com Helga Kepler em 1958, e com ela teve os filhos Otto, Roberto e Margareth, que residem nos EUA. Pastoreou a Primeira Igreja Batista de Vitória até 1964, ano em que assumiu a Primeira Igreja Batista de Niterói (PIBN), sucedendo Manoel Avelino de Souza. Foi presidente e pastor titular dessa igreja por 41 anos. Neste período foi reitor do Seminário Teológico Batista de Niterói, e também fundou a organização assistencial Reencontro Obras Sociais e Educacionais, da qual foi presidente por 35 anos. Apresentava um programa de mesmo nome em 146 emissoras de TV do Brasil e 10 nos EUA. Sua administração foi marcada pelo crescimento da PIBN, que conforme contagem de 2005 possuía mais de oito mil. Tornou-se referência no meio cristão, e tinha bom trânsito no meio político (teve audiências com todos os presidentes brasileiros desde Geisel) e tinha passaporte diplomático emitido por Fernando Henrique Cardoso. Durante este período Fanini presidiria por 12 vezes a Convenção Batista Brasileira, e finalmente presidiu a Aliança Batista Mundial por cinco anos, de 1995 até 2000. Após o fim de seu mandato ingressou no conselho da organização.

Rev. Glauco Martins da Silva © 2013

Última modificação em Quinta, 15 Agosto 2013 14:20

Deixe um comentário